Por que não atender planos de saúde em meu consultório?

Os planos de saúde são contratos vinculantes de prestação de serviço. São oferecidos por empresas privadas para pessoas que buscam assistência e segurança na área da saúde, e ao mesmo tempo querem evitar os gastos imprevistos com despesas médicas. O que parece ser uma solução para economizar o bolso dos pacientes e ao mesmo tempo garantir uma agenda cheia para os médicos, na verdade tem sido alvo de polêmicas que deixam ambos os lados insatisfeitos.

Marketing Médico: como usar as redes sociais sem ser punido pelo Conselho de Ética.

Baixa remuneração por planos de saúde

Os dados da realidade brasileira refletem políticas assimétricas das empresas de convênio. Enquanto os beneficiários criticam o constante aumento das mensalidades e diminuição das vantagens oferecidas, os profissionais de saúde reclamam não receberem uma remuneração adequada.

Na verdade, a principal razão das reclamações dos médicos em relação aos planos de saúde é justamente o valor pago pelas consultas e atendimentos, que é muito inferior ao valor de mercado. Convênios pagam uma média de R$30 a R$60 reais por consulta para um profissional que investiu 6 anos de faculdade, mais 2 a 6 de especialização e residência, e que deve estar em constante atualização sobre as novidades na sua área comparecendo a congressos, cursos e especializações. Além disso, muitas vezes o plano de saúde não paga adicional pelo “retorno” do paciente, prática comum em certos tipos de atendimentos.

Esse valor irrisório faz com que o profissional se veja obrigado a atender entre 4 e 6 pacientes por hora para receber uma remuneração decente no final do mês e pagar as despesas do consultório. Outra saída comum é estender a jornada de trabalho para além das 8h comerciais. Com estes cálculos, cada paciente acaba sendo atendido em 10 a 15 minutos, o que é insuficiente para uma investigação clínica de qualidade – e costuma ser interpretado como descaso do profissional.

 

Marketing Médico: como usar as redes sociais sem ser punido pelo Conselho de Ética.

O médico, como todo e qualquer profissional, também precisa divulgar seus serviços para atrair pacientes, pois a concorrência na área médica é tão ou mais acirrada do que outras profissões. E para divulgar seu trabalho, nada como como utilizar o marketing médico como estratégia e as redes sociais como ferramenta, que além de terem um custo menor do que campanhas impressas têm um alcance muito grande.

Divulgue seus dados profissionais

Se você vai divulgar seu consultório ou clínica nas redes sociais, deve informar todos os seus dados profissionais: nome completo, endereço e telefone da clinica, Registro de Qualificação de Especialista (RQE), número do CRM e as especialidades as quais você trabalha, desde que sejam registradas no CRM. No entanto, só é permitido divulgar duas áreas de atuação, mesmo que você tenha mais que duas especializações.

Por que não atender planos de saúde em meu consultório?

Fuja da autopromoção

Mesmo que você seja o médico mais capacitado da região na qual atua, não deve se autopromover como “o melhor”,o “o mais capacitado”, “o único capacitado em determinada especialidade”, ou que você tem a clínica mais moderna e que você é o único médico capaz de proporcionar determinado tratamento de saúde.

Nas estratégias de marketing médico nas redes sociais, o médico também não pode divulgar que possui uma aparelhagem ultra moderna como diferencial de qualidade no serviço e garantia de resultados satisfatórios. Mesmo que isso seja verdade e você tenha feito altos investimentos em equipamentos.

Uma boa forma de divulgar que sua clinica é bem estruturada é falar da importância desses equipamentos para o tratamento e diagnóstico de doenças.

Não utilize fotos de seus pacientes

Suponhamos que você seja um médico dermatologista e fez um tratamento rejuvenescedor em uma paciente, e os resultados foram fantásticos! Até mesmo você e sua equipe ficaram surpresos! Aí você fica orgulhoso de seu trabalho e fica querendo mostrar o antes e depois daquela pessoa, simplesmente com a intenção de encorajar os possíveis pacientes a procurarem seus serviços.

Mas, pode esquecer, expor a figura de pacientes é definitivamente contra as regras de publicidade do Conselho Federal de Medicina – CFM e mesmo que algum paciente te dê autorização, você ainda não pode fazer isso. Primeiro, porque os resultados dependem de cada pessoa, mesmo que façam o mesmo procedimento e os resultados de determinado paciente não podem servir como verdade absoluta, nem garantia de resultados.

E segundo porque, médicos não podem usar os pacientes como forma de se promover, há outros meios para isso. Nem mesmo as famosas selfies são permitidas entre profissional e paciente, tampouco fotos do atendimento.

Não faça leilão de seu trabalho

Divulgar preços de consultas, tratamentos, promoções, parcelamentos, formas de pagamento e descontos também não são permitidos como diferencial de qualidade. O CFM entende que a saúde é um bem que não pode ser comercializado; não pode ser vendida, nem comprada. Embora, seja comum vermos essa prática em campanhas de marketing médico, principalmente em sites da internet, no Brasil ela é proibida.

É claro que você pode oferecer desconto para seus clientes mais antigos e parcelar um procedimento em várias prestações, mas nada de criar banners, vídeos e outras propaganda e disparar em todas as redes sociais.

Não faça promessas de resultados de tratamento

Sabe aquele famoso anúncio: “Satisfação garantida ou seu dinheiro de volta”? Nem pense em fazer isso nas redes sociais. Primeiro porque o CFM proíbe que o médico dê garantias de resultados e depois: como você pode simplesmente dar garantias que irá resolver o problema de um paciente, se você nem mesmo sabe o que ele tem?

Utilize as mídias sociais de forma educativa

O próprio CFM determina que as campanhas de marketing médico sejam educativas e nunca sejam usadas para promover o profissional. Então, use isso a seu favor e crie diversos materiais educativos para seu público. Crie vídeos, infográficos e até mesmo pequenos posts sobre vários temas de interesse do seu público alvo.

Explore temas relacionados à sua especialidade. Por exemplo: se você é cardiologista, pode falar sobre vários temas relacionados à saúde do coração como: exercícios físicos que ajudam na saúde cardiovascular, alimentos benéficos e prejudiciais ao órgão, enfim, tudo que seja relevante e adicione valor ao seu trabalho.

Esse tipo de estratégia cria um relacionamento com o público, que adquire confiança no seu trabalho e você pode vir a se tornar referência, tanto na sua área como na região a qual você atua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *